Saiba como ajudar as vítimas de Moçambique

Foto: crianças participando de solenidade na Praça dos Combatentes, em Maputo, capital de Moçambique. André Zavarize/ZAZ Produções


 

O ciclone tropical Idai atingiu três países no sudoeste da África na semana passada (14). Malawi, Zimbábue e Moçambique foram afetados pelo desastre natural – entre eles, o país lusófono foi o mais atingido até então. De acordo com o Ministro da Terra e do Meio Ambiente, Celso Correia, o número de mortes em Moçambique causadas pelo ciclone chegou a 281 nesta sexta-feira.

Segundo as Nações Unidas, estima-se que 1,7 milhão de pessoas foram afetadas pela passagem do ciclone. Por esta razão, a população tem sofrido com falta de água, escassez de alimentos e itens de higiene básica. Visando o impacto desta catástrofe, instituições e fundações estão se engajando para levantar fundos e atender a situação de emergência.

Saiba como ajudar:

  • Fundação Fernando Leite Couto

A Fundação Fernando Leite Couto, localizada na capital de Moçambique, escreveu uma carta pedindo doações por meio de uma campanha de arrecadação. Segundo o presidente da fundação, Mia Couto, a cidade de Beira, considerada a segunda maior de Moçambique, “parece ter sido condenada ao escuro, ao luto e ao silêncio”.

Ainda, o presidente afirmou que “a Fundação irá estudar e debater com amigos e parceiros formas de manter o apoio na reconstrução da cidade da Beira”. Todas as doações serão direcionadas para a Cruz Vermelha de Moçambique. Os dados bancários estão disponíveis aqui.

Para mais informações, é possível entrar em contato com a Fundação por meio do e-mail fflc.emergencia@fflc.org.mz.

  • UNICEF Portugal

UNICEF Portugal também organizou uma campanha para arrecadar fundos, com o intuito de apoiar aproximadamente as crianças afetadas pelo desastre natural em Moçambique. De acordo com Fundo das Nações Unidas para a Infância, cerca de 850 mil pessoas, das quais metade são crianças, foram atingidas pelas inundações. É possível encontrar mais informações no site oficial da Unicef.

Além disso, há campanha disponível no Facebook, e pode ser acessada clicando aqui.

  • Cruz Vermelha Portugal

A Cruz Vermelha de Portugal publicou um apelo de emergência para arrecadar cerca de 8,8 milhões de euros para apoiar as pessoas atingidas. De acordo com a Cruz Vermelha Internacional, estima-se que cerca de 400.000 pessoas tenham ficado desalojadas em Moçambique. O apelo está priorizando o fornecimento de abrigo, água e saneamento básico.